sintet

O acordo foi feito com o SINTET-TO, que representa a classe

Parte de mais uma conta deixada pela ex-administração foi paga pelo prefeito Joaquim Maia. Cumprindo o acordo feito com o SINTET-TO, representante da classe, e homologado pela justiça, o prefeito de Porto Nacional, Joaquim Maia, realizou ontem, 30, o pagamento da primeira parcela, de dez, que restitui aos trabalhadores da educação do município o salário cortado pelo ex-prefeito, em 2015.

No acordo ficou firmado que a dívida, que passa dos 160 mil reais, será paga em dez parcelas, sendo que a ordem para o pagamento dos dez grupos será em razão dos salários dos servidores do grupo, iniciando-se pelos servidores com menor renda para os servidores com maior renda.

“Fizemos o acordo de resgatar essa dívida deixada pela ex-administração, por entender que os direitos dos professores foram desrespeitados naquele momento. Como afirmou a justiça, o direito àquela greve era legítimo. Cortar os seus vencimentos foi uma ação arbitrária e injusta, com a qual não concordamos.” Disse o prefeito Joaquim Maia.

Dos 147 servidores que tiveram seus pontos cortados, 30 receberam nesta primeira parcela. O pagamento já está tendo repercussão nas redes sociais de professores que relembram de como tiveram seus direitos desrespeitados pelo ex-gestor.